orientação para tirar medidas

Oriente-se pela imagem e pela tabela de tamanhos, mas atenção: não aperte a fita, deixe-a justa, mas sem apertar.
A dica para quem for se medir sozinha é ficar em frente a um espelho grande.Vamos as principais medidas:
• Busto: passe a fita métrica por debaixo das axilas, contorne todo tronco, deixe a ponta da fita para frente, tire a medida do ponto mais saliente do busto.
• Abaixo do Busto: Esta medida é a linha de baixo do sutiã.
• Cintura: Passe a fita em volta da cintura no ponto mais estreito. A cintura fica mais ou menos a dois dedos acima do umbigo.
• Quadril: Contorne a fita na parte mais larga dos quadris.
• Altura do vestido: Para saber a altura do vestido, meça da linha abaixo do busto (linha do sutiã) até as pontas dos pés.

Como tirar medidas

Como tirar medidas

Pesquise no blog KZ

26 de mai de 2010

Uma nova Tradição

Textos: Kathia Pompeu
A festa dos 15 anos de uma menina é a mais perfeita tradução dos sonhos juvenis. Um evento único em que ela, tal qual uma princesa, incorpora todas as suas fantasias de glamour e encantamento.
E são muitos os elementos que fazem parte desse mundo de faz-de-conta da debutante. Desde a escolha do vestido até o tema da comemoração, cada detalhe é pensado para realizar todos os desejos.
Afinal, mais do que um aniversário, é uma data carregada de simbologias e tradições que, em síntese, significa os primeiros passos da adolescente no fascinante universo de uma mulher.
Para atender a todos os apelos da ocasião, que marca de modo tão especial uma época da vida, é fundamental uma agenda bem orga­nizada que antecipe a contratação de todos os serviços e do cast de profissio­nais para a produção do evento.
A partir daí, tudo deve ser pla­nejado com bom gosto, criativi­dade e um estilo bem definido, le­vando em conta a personalidade e modo de vida da aniversariante. Entre as mais variadas concepções, seja a festa clássica, temática ou mo­derninha, o que vale é marcar bem uma identidade. Sublinhar a data com um conceito e uma linguagem própria sem perder a referência de uma festa teen.
O que antes se apresentava como um baile formal, com a apresentação da debutante à sociedade, em um am­biente decorado em estilo rebuscado e romântico, evoluiu.
A balada invadiu os salões, que ga­nharam concepções mais contemporâ­neas. Os lounges, por exemplo, são uma das formas de acomodar os convidados que, em se tratando de um evento teen, chegaram para ficar. Quem afirma é a dupla de decoradoras brasilienses Ma­riestela e Maria Yvone, que há 26 anos atua no mercado de festas.
“Pufes, sofás, poltronas e mesinhas, entre outros acessórios, promovem um clima charmoso, despojado e atual, que tem tudo a ver com uma festa de 15 anos moderna”.
Segundo elas, além das vantagens citadas acima, os lounges ainda contri­buem para movimentar a festa, já que os convidados circulam com mais de­senvoltura.
Outro ponto fundamental numa festa de 15 anos é delimitar muito bem os espaços da galera e dos parentes adultos – que costumam ser convida­dos a prestigiar esse tipo de comemo­ração. Para isso, entra em cena o tra­balho de paginação desenvolvido pelos decoradores. É o caso de Tânia Sequei­ra, uma das profissionais mais requisita­das no Rio, que cria espaços distintos no ambiente da festa para atender cada perfil. “São estratégias de cenografia que implicam em demarcar cantinhos específicos para cada intenção. Iso­lamos sutilmente cada grupo etário sem comprometer a harmonia da festa. Num salão, desenvolvo espaços com apelos para os adultos, como mesas confortáveis, open-bar e ilhas de bufê. Já na parte teen, concentro os lounges, pista de dança, camarim para fotos di­vertidas, mesas de guloseimas e telão, entre outras atrações do gênero”.
Seguindo esse mesmo conceito e profissão, Daniel Cruz, sempre antena­do com as tendências no mercado, indi­ca como up to date composições em tons marcantes, em harmonia com o estilo do evento. Combinar duas ou três cores alegra o ambiente com jovialidade e, ao mesmo tempo, revela uma certa ousadia na proposta.
“O que antes se apresentava como um baile formal, com a apresentação da debutante à sociedade, evoluiu. A balada invadiu os salões ”.
“Uma mudança visível do estilo da comemoração, está no comportamento das próprias aniversariantes. Que acaba refletido no modo delas se vestirem...
“Procuro imprimir algo de origi­nal a cada festa, que passe uma iden­tidade à aniversariante. E a cor é um dos caminhos para esse efeito”, resu­me Daniel. Por outro lado, ele sugere cautela em relação às comemorações temáticas que, além de repetitivas pe­los modismos, com o tempo podem envelhecer visualmente. A dica, para não correr esse risco, é fazer um tema mais light, salpicando alguns elemen­tos na decoração com criatividade e bom-gosto. De resto, é abusar das cortinas de tecidos leves, iluminação cenográfica, transparências, vidros, velas, flores e sofisticação.
À frente da Jalfim Eventos, de Porto Alegre, a produtora Iara Jal­fim aponta uma interessante suges­tão aos pais: dividir a festa em duas etapas. Iniciar a noite, por exemplo, com um grupo mais intimista, ape­nas com a família e amigos próxi­mos. Nessa hora, o ideal é servir um coquetel e jantar mais sofisticado e manter a música ambiente. Na fase seguinte, cerca de duas horas de­pois, entra em cena a turma mais jovem para agitar a comemoração. A partir daí, é botar o som para ro­lar, servir cardápio teen e apresen­tar animações direcionadas. “Uma estratégia moderna de comemorar sem uma proposta invadir a outra”.
E é justamente o segundo mo­mento da noite que requer maior atenção na produção – afinal, a festa é da meninada. Com larga experiên­cia no ramo, o cerimonialista carioca Roberto Cohen dita a receita infalí­vel para bombar a festa: apresentar atrações variadas e divertidas como DJs, MCs, bandas e shows, entre ou­tras opções. “O ideal é movimentar o evento com sucessivos apelos, sem­pre provocando uma surpresa a mais”. Também não pode faltar os barten­ders performáticos na elaboração de drinques charmosos e coloridos sem álcool, claro, lembra Cohen.
Outra mudança visível no esti­lo da comemoração é no compor­tamento da própria aniversariante. Para elas, o que antes era tradição, hoje pode ser encarado como pagar mico. É o caso do ritual do bolo vivo – a valsa da debutante com seu par, acompanhada por 14 casais de ami­gos com vela nas mãos – está cada vez mais em baixa entre as debutantes. “A maioria prefere ficar no meio-termo, ou seja, optar por uma valsa com o pai ou padrinho, num momento nobre da festa, só para manter a essência do costume”, concorda a dupla de cerimo­nialista César Nunes e Renato Serra, que há 18 anos faz acontecer grandes celebrações em Brasília. “É importan­te frisar que, nesse caso específico, os pais não devem interferir na vontade de suas filhas. Não forçarem uma atitude em relação ao estilo da festa. O certo é adequarem suas expectativas e orça­mento ao sonho da menina. Afinal, o dia é dela”, sublinha Renato.
Uma questão que reflete, ainda, no modo delas se vestirem. Já sa­bendo o que quer, a maioria chega aos ateliês certa do tipo de roupa que pretende usar: algo confortável e fashion. Na prática, os longos em tecidos leves e modelos tomara-que-caia são os preferidos.
Segundo George Moreira, nome de grife no mercado de moda carioca, o lilás é a tendência para as adolescen­tes, mas a inspiração para criar o ves­tido da festa é personalizada. “A partir do tipo físico da menina, seu estilo e atitude, desenvolvo um traba­lho exclusivo, com a intenção de valorizar ainda mais sua beleza juvenil”. Em geral, ali­nhava o estilista, elas gostam de usar dois looks diferentes ao longo da noite – um mais requintado, branco, e outro, mais ousado, em geral na cor da festa – mas não necessaria­mente nessa ordem de entrada.
Já em Brasília, o tradicional bran­co continua em alta, mas com adap­tações em tecidos como organza, gazar hidro, musseline e tafetá de seda pura. Fernando Peixoto con­fecciona cerca de oito vestidos por mês para as debutantes e gosta de fugir dos tons neutros. “Para as mais românticas, nuances de rosa nunca saem de cena. Da mesma forma, os cortes mais simples dão maior leve­za e liberdade de movimento”, enfa­tiza o estilista.
Com tudo isso, na opinião de Solaine Piccoli, uma referência na alta-costura porto-alegrense, mes­mo com todas as mudanças com­portamentais, uma celebração de 15 anos merece e estimula trajes de glamour. “Podemos sonhar através da roupa, sem com isso deixar de atender uma proposta jovial, femi­nina e adequada aos dias atuais. É só saber utilizar todos os recursos da moda em favor da elegância”. Entre os darlings de Piccoli, se destacam as aplicações e os bordados em cristais swarovski. Uma aposta de requinte para dar mais brilho ao vestido e à ocasião. E finaliza com um conceito eterno: “As debutantes sempre dese­jam ser princesas”.
“Os pais não devem interferir nas vontades de suas filhas. Afinal, o dia é só delas”

Um comentário:

  1. o texto devia ser resumido, nao dá muita vontade de lê-lo por inteiro

    ResponderExcluir

Agradecemos o comentário!

Vestidos do KZ Atelier Noivas

KZ Atelier Noivas

KZ Atelier Noivas
kz

Vestidos 15 anos do KZ Atelier Noivas