orientação para tirar medidas

Oriente-se pela imagem e pela tabela de tamanhos, mas atenção: não aperte a fita, deixe-a justa, mas sem apertar.
A dica para quem for se medir sozinha é ficar em frente a um espelho grande.Vamos as principais medidas:
• Busto: passe a fita métrica por debaixo das axilas, contorne todo tronco, deixe a ponta da fita para frente, tire a medida do ponto mais saliente do busto.
• Abaixo do Busto: Esta medida é a linha de baixo do sutiã.
• Cintura: Passe a fita em volta da cintura no ponto mais estreito. A cintura fica mais ou menos a dois dedos acima do umbigo.
• Quadril: Contorne a fita na parte mais larga dos quadris.
• Altura do vestido: Para saber a altura do vestido, meça da linha abaixo do busto (linha do sutiã) até as pontas dos pés.

Como tirar medidas

Como tirar medidas

Pesquise no blog KZ

16 de ago de 2009

http://www.slide.com/r/eMjUYaY66D-C_cvLNeZFMj6gf-C4C43z?previous_view=mscd_embedded_url&view=original

10 de ago de 2009

A TPM (TENSÃO PRÉ-MENSTRUAL) e o CASAMENTO
Todos já ouviram falar na TPM – Tensão Pré-Menstrual e principalmente nesse período de preparação do casamento onde se exige tanto do casal: foto e filmagem, Buffet, decoração, convite, etc... Com isso o stress das tantas decisões a serem tomadas fazer com que em dias de TPM a noiva exploda.
Ao contrário do que muitos homens pensam. A TPM, não é “frescura de mulher”, é uma síndrome clínica definida como um conjunto de sintomas físicos e comportamentais que ocorrem na segunda metade do ciclo menstrual podendo ser tão severos que interfiram significativamente na vida da mulher, alterando o comportamento da mulher e que desaparece ou diminui durante a menstruação. O passo importante e inicial é a compreensão dos sintomas por parte da mulher e de SUS familiares, principalmente o marido.
A TPM é uma desordem neuropsicoendócrina com sintomas que afetam a mulher na esfera biológica, psicológica e social.
A tendência hoje é acreditar que a função fisiológica do ovário seja o gatilho que dispara os sintomas da síndrome alterando a atividade da serotonina (neurotransmissor) em nível de sistema nervoso central.
O tratamento depende da severidade dos sintomas e incluem modificações alimentares, comportamentais e tratamentos medicamentosos.

Os sintomas mais comuns incluem:
Por ordem de freqüência: DESCONFORTO ABDOMINAL, MASTALGIA CEFALÉIA, FADIGA, IRRITABILIDADE, TENSÃO, HUMOR DEPRIMIDO, HUMOR LÁBIL, AUMENTO DO APETITE, ESQUECIMENTO E DIFICULDADE DE CONCENTRAÇÃO, ACNE, HIPERSENSIBILIDADE AOS ESTÍMULOS, RAIVA, CHORO FÁCIL, CALORÕES, PALPITAÇÕES e TONTURAS.

- Irritabilidade (nervosismo),
- Ansiedade (alteração do humor com sentimentos de hostilidade e raiva),
- Depressão (com sensação de desvalia, distúrbio do sono, dificuldade de concentração)
- Cefaléia (dor de cabeça),
- Mastalgia (dor ou aumento da sensibilidade das mamas),
- Retenção de líquidos (inchaço ou dor nas pernas),
- Cansaço,
- Desejos por alguns alimentos como chocolates, doces e comidas salgadas.

Deve ser realizado um controle objetivo do ciclo menstrual (através de um diário) pelo período mínimo de dois ciclos. Devem ser excluídos outros transtornos como hiper ou hipotireoidismo, perimenopausa, enxaqueca, fadiga crônica, síndrome do intestino irritável ou exacerbação pré-menstrual de doenças psiquátricas; depressão, que pode se intensificar nesse período (magnificação pré- menstrual).
História, exame físico cuidadoso, avaliação endócrina ginecológica quando o ciclo menstrual é irregular, perfil bioquímico, hemograma e TSH para excluir condições médicas que podem apresentar sintomas que simulem uma TPM. Importante fazer o diagnóstico diferencial com a condição psiquiátrica: distúbio disfórico pré-menstrual.
O tratamento medicamentoso inclui o manejo específico de cada sintoma e deve ser individualizado. A maioria dos tratamentos medicamentosos propostos não se mostraram mais eficazes do que tratamentos placebo (progesterona, espironolactona, óleo de prímula e vitaminas B6 e E, ingestão de cálcio e magnésio). A fluoxetina, foi a única droga que mostrou eficácia, entretanto foi aprovada pelo FDA apenas para PMDD (Forma mais severa de TPM, com prevalência dos sintomas de raiva, irritabilidade e tensão). Na Europa esta droga não é aprovada na Europa para uso nem mesmo em PMDD.

Medidas preventivas são igualmente importantes e incluem:
- orientação: explicar que a TPM não é grave e que os sintomas podem variar a cada ciclo,
- modificações alimentares com diminuição da gordura, sal, açúcar e cafeína (café, chá, bebidas a base de colas),
- fracionamento das refeições,
- dieta com boas fontes de cálcio (leite e iogurte desnatado) e magnésio (espinafre), diminuição da ingestão de álcool,
- parar de fumar,
- fazer exercícios regulares (aeróbicos: 20 minutos 3 vezes por semana),
- manejar o estresse.

Porém para que a TPM seja considerada doença e, portanto , sujeita a tratamento, é importante que estes sintomas descritos acima de fato interfiram nas atividades habituais da mulher e que os mesmos ocorra.

Perguntas que você pode fazer ao seu médico:
1- O que eu sinto naqueles dias antes do período menstrual são "coisas da minha cabeça"?
Os sintomas desagradáveis que surgem antes da menstruação podem ser considerados uma doença?
2- Existe tratamento para a Síndrome de Tensão Pré-Menstrual?
3- Qual o critério para determinar a gravidade da TPM?
4- Quando a TPM é caracterizada como desordem disfórica pré-menstrual?
5- Quando é necessário acompanhamento psiquiátrico para TPM?
6- Fazer exercícios físicos e de relaxamento ajudam no tratamento da TPM?
7- Quais os alimentos mais indicados para estes dias?
8- Deve usar vitaminas ou suplementos alimentares para ajudar na melhora dos sintomas?
9- Devo suspender o uso de álcool e cigarros?

O mais importante é que os noivos tenham paciência, compreensão e calma.
Rod. Amaral Peixoto, KM 137, n.36 L01 - Cabo Frio
BRUNO ROBERTO DE OLIVEIRA RAMOS
Notário e Oficial Registrador
CARLOS GABRIEL LOPES B. PINHEIRO
Substituto
Edital de Casamento
(prazo de 15 dias)
FAZ SABER, que pretendem casar e apresentaram os
documentos exigidos pelo art. 1.525 do código civil:

Processo 1473
ADECILDO FLAUZINO DA SILVA e
MARIA ISABEL RODRIGUES ELIZIARIO,
brasileiros, residentes neste município. Ele, solteiro,
filho de Valdecy da Silva Coelho e Cilene Flauzino.
Ela, solteira, filha de Paulo Roberto Eliziario e
Cleide Rodrigues Eliziario.

Processo 1474
JAINITO FERNANDES RODRIGUES e
SILVANA AUGUSTO THOMAZ, brasileiros,
residentes neste município. Ele, solteiro, filho de
João Martins Rodrigues e Tereza Fernandes. Ela,
solteira, filha Jorge Augusto Thomaz e Eloisa das
Graças Silva Thomaz.

Processo 1475
WELLINGTON PEREIRA DE AMORIM e
BRUNA DOS SANTOS PIMENTA, brasileiros,
residentes neste município. Ele, solteiro, filho de
Cícero Pereira Damacena e Maria Francisca de
Amorim Damacena. Ela, solteira, filha Ricardo
Luis da Silva Pimenta e Márcia dos Santos
Mesquita Pimenta.

Processo 1476
JORGE PEDRO AGRELOS DOS SANTOS
e LUANA CORRÊA BOMFIM, brasileiros,
residentes neste município. Ele, viúvo, filho de
Mario Agrelo dos Santos e Norma de Jesus Santos.
Ela, solteira, Enock Ferreira Bomfim e Maria
Aparecida Corrêa Bomfim.

Processo 1477
MOISES GOMES DA SILVA e MARIA DE
NAZARETH SILVA DE SOUZA, brasileiros,
residentes neste município. Ele, solteiro, filho de
Jose Gomes da Silva e Maria da Gloria Macena
da Silva. Ela, solteira, Helio Rangel de Souza e
Joanita Silva de Souza.

Faz saber que por este Cartório do Registro Civil estão se habilitando para casar:

Processo nº: 2035.
JOSÉ MARINHO DA SILVA e FABIANA
SOARES SANTOS. Brasileiros, Solteiros, residentes
neste município. Ele, filho de ELPÍDIO MENDES
DA SILVA (Falecido) e de TEREZA MARINHO
DOS SANTOS. Ela, filha de GILSON SOARES
SANTOS (Falecido) e de ZEILMA MARIA ROSA
SANTOS.

Processo nº: 2036.
MARLON MALAQUIAS e ERICA DA SILVA
GARCIA. Brasileiros, Solteiros, residentes neste
município. Ele, filho de LAIR MALAQUIAS e de
RUTH OLIVEIRA MALAQUIAS. Ela, filha de
ERCULES CANDIDO GARCIA e de SONIA
MARIA DA SILVA GARCIA (Falecida).

Processo nº: 2037.
ANDERSON MONTEIRO MOREIRA e
LILIANE DA SILVA. Brasileiros, Solteiros,
residentes neste município. Ele, filho de MILTON
CARLOS COELHO MOREIRA e de THEREZA
CHRISTINA DA SILVA MONTEIRO (Falecida).
Ela, filha de JOSÉ ANTONIO DA SILVA e de
MARIA DAS GRAÇAS DA SILVA.

Processo nº: 2038.
CLÉBER GOMES DA CONCEIÇÃO e
ROSIMERE DA SILVA PERES. Brasileiros,
Solteiros, residentes neste município. Ele, filho de
CLÁUDIO CRIZANTO DA CONCEIÇÃO
(Falecido) e de IRACEMA GOMES DA
CONCEIÇÃO. Ela, filha de FRANCISCO PERES
e de MARIA RITA DA SILVA PERES.

Processo nº: 2039.
ROBSON RODRIGO DA SILVA LOURENÇO
e QUEILA DE OLIVEIRA ARAUJO. Brasileiros,
Solteiros, residentes neste município. Ele, filho de
ANTONIO LUIZ LOURENÇO (Falecido) e de
TEREZA RODRIGUES DA SILVA (Falecida). Ela,
filha de NAEL LUIZ DE ARAUJO e de
BENEDITA DE OLIVEIRA ARAUJO.

Processo nº: 2040.
JOÃO PAULO VASCONCELOS DA ROCHA
e AMANDA RAMOS DE SOUZA. Brasileiros,
Solteiros, residentes neste município. Ele, filho de
PAULO ROBERTO BARCELOS DA ROCHA e de
CLAUDIA MARCIA VASCONCELOS DA
ROCHA. Ela, filha de MANOEL SAMPAIO
GOMES DE SOUZA e de MARIA DA GRAÇA
RAMOS DE SOUZA.

Processo nº: 2041.
FABRICIO XIMENES MESQUITA e PATRICIA
IRENE TELES. Brasileiros, Solteiros, residentes neste
município. Ele, filho de MANOEL HENRIQUE DE
MESQUITA e de MARIA IZALI XIMENES
FURTADO MESQUITA. Ela, filha de MIGUEL
IRENE TELES NÉTO e de CARMELITA ROSA
IRENE TELES.

Processo nº: 2042.
MAX RODRIGUES DO NASCIMENTO e
PRISCYLLA DE LIMA CARVALHO. Brasileiros,
Solteiros, residentes neste município. Ele, filho de
MANOEL RODRIGUES DO NASCIMENTO
(Falecido) e de MARIA OLINDA DE JESUS. Ela,
filha de SEBASTIÃO FERREIRA DE CARVALHO
e de RISOLANIA DE LIMA CARVALHO.

Processo nº: 2043.
WILLIANS RIBEIRO MESCOLIN e SHIRLEY
MARA DA SILVA NEVES. Brasileiros, Divorciados,
residentes neste município. Ele, filho de FRANCISCO
DUARTE MESCOLIN e de ERLEM RIBEIRO
MESCOLIN. Ela, filha de CILAS BARRETO
NEVES e de MARIA DE LOURDES DA SILVA.

Processo nº: 2044.
ALVARO BATIAKA LIMA SALLES e
LUCINÉA DE SOUZA VICENTE. Brasileiros,
Solteiros, residentes neste município. Ele, filho de
ALVARO DE LIMA SALLES e de JURACY
CORREA SALLES. Ela, filha de GEORGINA DE
SOUZA.

Quem souber de algum impedimento acuse-o na
forma da Lei.
Rio das Ostras, 03 de Agosto de 2009
Danny dos Santos Reis
Substituto

7 de ago de 2009

Receita de Mulher por Millôr Fernandes

Uma compilação bem escolhida por um homem sensivel e grande comunicador.
Que essas visões masculinas inspirem as mulheres, sabendo como os homens as enxergam melhor.(*)

Os olhos sejam de preferência grandesE de rotação pelo menos tão lenta quantoA da terra. (Vinícius de Moraes)

O seu semblante, redondoSobrancelhas arqueadasNegros e finos cabelosCarnes de neve formadas. (Thomaz Antônio Gonzaga)

Simpáticas feições, cintura breve,Graciosa postura, porte airoso, Uma fita, uma flor entre os cabelos. (Gonçalves Dias)

Verde carne, tranças verdes. (Garcia Lorca)

Lábios rubros de encanto Somente para o beijo. (Junqueira Freire)

A sua língua, pétala de chama. (Cândido Guerreiro)

Nos lobos das orelhasPingentes de prata. (Gonçalves Crespo)

Mão branca, mão macia, suave e cetinosaCom unhas cor de aurora e luz do meio diaNas hastes cor-de-rosa. (Luiz Delfino)

Os braços frouxos, palpitante o seio. (Casimiro de Abreu)

O dorso aveludado, elétrico, felinoPorejando um vapor aromático e fino. (Castro Alves)

Seu corpo tenha a embriagues dos vícios. (Cruz e Souza)

Com mil fragrâncias sutisFervendo em suas veiasDerramando no ar uma preguiça morna. (Teófilo Dias)

Nádegas é importantíssimoGravíssimo porém é o problema das saboneteirasUma mulher sem saboneteiras É como um rio sem pontes. (Vinícius de Moraes)

As curvas juvenis Frescas de ondulações de forma florescenteImprimindo nas roupas um contorno eloqüente. (Álvares de Azevedo)

Qualquer coisa que venha de ânsias ainda incertasComo uma ave que acorda e, inda mal acordada,Move, numa tonteira, as asas entreabertas. (Amadeu Amaral)

De longe, como MondriansEm reproduções de revistasEla só mostre a indiferente Perfeição da geometria. (João Cabral de M. Neto)

Que no verão seja assaltada por uma Remota vontade de miar. (Rubem Braga)

A graça da raça espanholaA chispa do Touro MiuraTudo que um homem namora Tudo que um homem procura. (Paulo Gomide)

E todo o conjunto deve exprimir a inquietação e espera.
Espera, eu disse? Então vou indo, que senão, me atraso!

(*) - Vinícius que me perdoe plagiá-lo. Mas beleza é fundamental.
Matéria enviada por A. Casanova

Gripe Suína - Sintomas, Contágio, Prevenção no Brasil


A Gripe Suina é uma doença que tem como conseqüência uma variante do vírus H1N1, a transmissão e a apresentação dos sintomas da gripe suina pode ocorrer através do contato com o animal e objetos contaminados. Sendo que surgiu uma nova variante, que pode ser disseminada entre humanos e esta causando uma epidemia no México. Desde o seu surgimento, a gripe já fez até agora 149 vítimas, e sob suspeita da doença o número é de 1600 pessoas, a organização de saúde Mundial, declarou que a doença já esta sendo uma emergência na saúde pública internacional.
A gripe suina tem seu contágio através das vias aéreas, como a gripe comum, com contato diretamente ou indiretamente, por meio das mãos com objetos contaminados, o vírus também se espalha, inclusive pelo próprio ar ambiente. A contaminação pela carne suína, esta descartada, desde que se cozinha a mesma à 71 graus Celsius, eles afirmam que o vírus não sobrevive.


Sintomas da Gripe Suína
Os sintomas são muito parecidos com a gripe comum, estão incluídos: febre alta, cansaço, dores musculares, tosse, fadiga, surgiram pessoas com vômitos e diarréias. Para os porcos já existem vacinas, mas para os seres humanos ainda não temos nada, e pode levar uns 6 meses para que isso ocorra.
O medicamento oseltamivir segundo a OMS, mostrou eficiência nos primeiros testes contra o vírus H1N1, mas não se pode afirmar totalmente ainda tal efeito. O que podemos fazer é sempre estar lavando as mãos, mesmo porque temos que evitar as gripes comuns, que também pode trazer consequências.
O governo deve ser rigoroso nos vôos vindo do exterior, certificando que nenhum passageiro, esteja contaminado, pois mesmo que os sintomas da gripe, não esteja aparente, temos que estar alerta por um período, pois algumas delas vieram de paises que já estão contaminados. Ter a lista de passageiros desse período, e verificar se após alguns dias no nosso país, nenhum deles esteja apresentando algum sintoma, é sempre bom estar em alerta e conscientizar a todos.


O que é a doença Gripe A?
Chamada popularmente de gripe suína, trata-se de uma doença respiratória que surgiu entre os porcos, provocada por um vírus influenza do tipo A, que ataca aves, suínos e humanos. Esses vírus têm alto poder de mutação e contaminação. Por isso, é mais letal que o da gripe comum
Contágio da Gripe Suina
Esse vírus pode passar, por proximidade, dos porcos para os seres humanos. Pela tosse ou pelo espirro de pacientes infectados, a gripe pode ser transmitida entre as pessoas. Não há contaminação ao comer a carne de porco cozida (a 70°) porque os vírus da gripe suína são destruídos a essa temperatura.


OBS: Ao facilitar a transmissão do vírus da Gripe Suína, indivíduos podem favorecer que ele se torne mais agressivo, expondo toda a população a uma forma mais grave da doença” diz o infectologista Artur Timerman.
Sendo assim ,previna-se lavando as mãos pelo menos 10 vezes por dia, principalmente quando sair, ou tiver contato com pessoas que sairam, essas também tem que lavar suas mãos.
Sintomas complemento da gripe
Os sinais são semelhantes aos da gripe comum, porém, mais agudos e incluem febre acima de 38°, moleza, falta de apetite e tosse. Coriza clara, garganta seca, náusea, vômito e diarréia também podem acontecer; assim como, dores de cabeça, irritação nos olhos e dor muscular e articular.


Fazer o diagnóstico
Só se consegue a certeza isolando-se o vírus influenza tipo A, analisando amostras respiratórias dos pacientes, nos primeiros 4 a 5 dias ou até 10 dias em crianças.

Reportagem sobre a Gripe Suína
A informação nesses momentos é um fator determinante para combater a mesma:
Confira os locais de foco:


Confira o mapa da Gripe Suína no Mundo atualizado diretamente pelo Google Maps. View H1N1 Swine Flu in a larger map Em contato pelos comentários do blog recebi tal mensagem, O texto do link indicado está realmente bastante esclarecedor em relação a gripe, vale a visita no site do Ministério da Saúde.
O Ministério da Saúde conta com uma página exclusiva (link) na qual você encontrará respostas para todas as suas dúvidas a respeito da gripe suína. Além disso, você pode buscar mais informações no Disk Saúde 0800 61 1997. O Brasil está preparado para enfrentar os casos suspeitos e manterá a população bem informada! Assessoria de Comunicação. Ministério da Saúde.

Gripe Suína no Brasil
Foi anunciado pelo ministro da Saúde, José Gomes, confirmou nesta noite, quarta-feira (7) que existem 4 casos da gripe suina no Brasil. São os primeiros registros da gripe no país. Os quatro brasileiros com a gripe, são jovens adultos, que teriam contraído a doença no exterior. Duas pessoas são de São Paulo, um no Rio de Janeiro e outro em Minas Gerais. Três casos são de pessoas que estiveram no México; e outro esteve recentimente nos Estados Unidos. Sobre o uso de máscaras após a confirmação dos casos no Brasil, o ministro comentou que não existe a necessidade, pois o vírus não está circulando. Nem todos que usam máscaras na rua, estão tentando se previnir do vírus, mas pode ter realizado algum cirurgia delicada, como um transplante ou fazem tratamentos que abaixam sua imunidade.
O Brasil está preparado para tratar até 12,5 mil pacientes, e pode produzir medicamentos para o tratamento de até 9 milhões caso exista a necessidade. Nesta sexta-feira, o ministro da Saúde, confirmou dois novos casos da gripe suína no Brasil. Os novos pacientes são de Santa Catarina e Rio de Janeiro. O anuncio dos novos casos foi realizado em um coletiva, do Núcleo Estadual do Ministério da Saúde, no Rio de Janeiro. update: No Brasil são 8 casos confirmados até o momento e 22 número de casos suspeitos da nova gripe. Estados Brasileiros com casos suspeitos: Rondônia , Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Distrito Federal, Alagoas, Pernambuco, Goiás, São Paulo, Ceará, Pará e Piauí.

Vacina da Gripe Suina A - A cepa foi entregue neste sabádo dia 16/05 a cepa do vírus H1N1 à Organização Mundial da Saúde (OMS) e também os dados estatísticos e clínicos: como o vírus age no organismo dos pacientes; os primeiros sintomas; as internações; os óbitos e locais onde os casos foram registrados;
Até hoje, a vacina contra gripe suína só existe para os porcos e com o vírus sem mutação. Não há comprovação de que as vacinas atuais de gripe ofereçam proteção contra a gripe suína. Pela evolução do risco, acredita-se que em 4 ou 5 meses uma vacina específica será elaborada.
Tratamento da Gripe Suína - Algumas drogas antivirais estão sendo usadas na prevenção e tratamento da doença, tentando impedir a replicação do vírus dentro do corpo humano. O resultado é a diminuição da agressividade da infecção com a terapia. Para maior eficácia, é necessário começar sua utilização nos dois primeiros dias de sintomas. Por outro lado, o uso indiscriminado desses remédios pode induzir a mais mutações e a efeitos colaterais com riscos desnecessários.
Esses dados e as cepas do vírus, vão auxiliar na criação de uma vacina, que posteriormente vai estar disponível a todos os países. A OMS desenvolvendo essa vacina contra gripe suína, posteriormente a disponíbilizará a todos os países.

Informações sobre a Gripe Suína
Agosto de 2009 - Últimas Recomendações do Ministro da Saúde, ao iniciar as aulas nesse segundo semestre, caso seu filho ou o estudante estiver com sintomas de gripe, a princípio não deve ir á escola, como medida preventiva. Mas sempre procure orientação médica, pois só assim terá um diagnóstico correto.
Para conter essa contaminação, evite lugares com muitas pessoas e fechados, higiênize sempre as mãos, caso esteja gripado evite ficar saindo de casa, use máscara para ir ao médico ou posto de sáude para saber se é uma gripe comum ou a do vírus da gripe suína.

6 de ago de 2009

História do Vestido de Noiva
Noiva Grega
Matrimônio é o acontecimento que une um homem e uma mulher através do sagrado laço do casamento que, por sua vez, é uma instituição reconhecida pelo estado através de uma cerimônia civil e, pela igreja, numa cerimônia religiosa. Mais do que uma cerimônia cívica e religiosa, é um acontecimento social, em que duas famílias se unem pela a entrega de seus filhos a uma união matrimonial.
A transformação do jovem casal em um casal de esposos tem uma longa trajetória na historia da humanidade. O objetivo deste estudo é resgatar a evolução desta trajetória através de seu símbolo maior que é o Vestido de Noiva.
Diferente de outro traje social de luxo preparado para ocasiões especiais, este tem um significado relevante para a cultura ocidental. Mais do que uma veste nupcial, o vestido de noiva, resgata pedaços da cultura, da religiosidade e da história da humanidade. Seus tecidos, volumes e complemento, simbolizam a magia que envolve a união dos cônjuges e demonstram a profundidade do conceito de Amor para as culturas do ocidente.
As primeiras informações que nos chegam sobre cerimônias matrimoniais são as bíblicas, onde os cônjuges, para serem expostos publicamente em cerimônia religiosa, eram preparados por suas famílias com banhos especiais e com o uso em suas peles de óleos aromáticos. A cerimônia religiosa tinha por objetivo pedir as bênçãos divinas para a nova união e se dava pela determinação das famílias, visando a continuidade da ética comunitária e a manutenção dos limites territoriais.
Nos relatos bíblicos, se as famílias eram abastadas, após as bênçãos se seguia um festejo público. O mais significativo destes relatos é conhecido como “As Bodas de Canaã”, descrito no Evangelho.
Temos também informações sobre o casamento entre o povo grego, em que os pares eram formados ao gosto dos pais quando as crianças completavam sete anos. A cerimônia se realizava quando o rapaz completava treze anos e deixava a casa materna. Esta data em geral coincidia com a primeira menstruação da noiva, que costumava se mais velha que o rapaz. Entre eles, era comum após a consumação do casamento, o jovem marido partir para a guerra e de lá só voltar três anos depois para gerar nova leva de guerreiros.
Quanto aos romanos, é célebre a história do rapto das sabinas como o casamento que deu origem a este povo. O rapto, como forma de casamento, era um costume bárbaro, servia para demonstrar a virilidade do marido e a subserviência da esposa como valorização da disposição física do esposo. A esposa, a partir de então, passava a considerá-lo como seu amo e senhor. Este costume se manteve na Europa até a sua total cristianização, que se deu durante a Idade Média.

Noiva romana
Entre os romanos civilizados a cerimônia de casamento era diferenciada das outras cerimônias civis através do traje, que era preparado unicamente para esta ocasião, quando a noiva vestia uma túnica branca e se envolvia com um véu de linho muito fino de cor púrpura. Este véu tinha o nome de FLAMMEUM. Nesta ocasião, a jovem arrumava o cabelo com tranças e ornava com uma coroa de flores de verbena. As flores, num casamento, sempre foram sinônimo de fertilidade.
Com a queda do Império Romano, as atenções culturais do ocidente passaram a ter como referência o padrão de elegância proposto pela corte bizantina. Lá, as noivas se casavam vestidas de seda vermelha bordada em ouro e traziam no cabelo tranças feitas com fios dourados, pedras preciosas e flores perfumadas.
Durante a Idade Média, a cristianização do ocidente trouxe novos costumes matrimonias. A coroação de Carlos Magno, no ano 800 d.C tornou o casamento um sacramento religioso, com forte carga social e simbólica, carga esta, que em grande parte perdura até os nossos dias.
Neste momento, a união dos cônjuges passou a se dar através de uma cerimônia religiosa que sacramentava a união de duas famílias e de seus patrimônios. O casamento então, teve como função garantir as fronteira dos novos reinos e reconstruir os territórios nacionais destruídos pela longa invasão bárbara à qual a Europa estivera submetida desde a queda do Império Romano, e também pelo abandono deste território devido às cruzadas.
O vestido de noiva surgiu neste período com a função específica de apresentar para a comunidade as posses da família da moça. Sua simbologia era a do poder e sua função era social.
A noiva era apresentada com um vestido vermelho ricamente bordado e sobre a cabeça um véu branco bordado com fios dourados. O vermelho representava a capacidade da noiva de gerar sangue novo e continuar a estirpe. O véu branco falava da sua castidade.
Ao noivo, bastava que desse à noiva um cavalo branco para que pudesse segui-lo. Para muitas famílias, o sucesso no casamento dos filhos era uma questão de sobrevivência que implicava numa boa partilha entre terras, animais e servos para trabalhar a terra.
À noiva, além dos dotes patrimoniais, cabia levar tecidos para vestir a família e a casa que ia constituir além de jóias, que poderiam ser vendidas ou trocadas para o custeio do cultivo da terra. Os noivos, em geral, tinham ambos por volta de quatorze anos e no dia das núpcias a noiva deveria se apresentar com todas as jóias sobre o seu corpo e cabelo.
Este acervo era composto de broches, tiaras, braceletes, vários colares e muitos anéis, podendo ser vários em cada dedo. O casamento cristão, que teve início na Idade Média, era uma cerimônia pública e acontecia na igreja por ser este o espaço mais público desta cultura. A tradição da cerimônia religiosa de casamento, que vivemos hoje, tem aí sua origem.

Noiva Burguesa
Quanto à união dos cônjuges das famílias humildes deste período, se dava como festejo popular, no centro da comunidade, num domingo de santo. Geralmente Santo Antônio era o que abençoava e protegia estas uniões sem dote, porém, de grande importância para a fertilização dos campos e lavoura. A celebração do casamento popular se dava em maio, em geral no início da colheita e representava a fertilidade da terra e a abundância na casa do homem do campo. Noiva Burguesa (Casal Arnolfini)
É importante mostrar o surgimento da instituição matrimonial entre os burgueses (um burgo designa geralmente uma cidade comercial, que se desenvolvia fora das muralhas do núcleo urbano primitivo). Estes homens da cidade também uniam suas famílias para conservação de patrimônio, mas representavam esta união através do símbolo da fertilidade que era a cor verde, como o verde do horto das oliveiras, onde Cristo passou sua última noite.
A noiva burguesa, habitante do burgo e filha do mercador, do banqueiro e do comerciante, era mostrada com ventre saliente, demonstrando a sua capacidade para procriar. Esta união está bem demonstrado na pintura de Jan Van Eyck, em 1434: O casamento do casal Arnolfini.
Neste período a noção de Amor não era agregada à de casamento e raramente os noivos já haviam se visto antes da cerimônia. Apesar desta circunstância, a noção de Amor Esponsal que envolve o casal em relações afetivas e de afinidades sexuais tal como conhecemos hoje, nasce neste momento através do fenômeno conhecido como Amor Cortês. Caso houvesse um amor desta qualidade, que precedesse à união e coincidisse com a escolha familiar, os noivos eram considerados como particularmente agraciados por Deus e à esta graça, o noivo deveria ser eternamente grato.
No Renascimento, com a ascensão da burguesia mercantil, a apresentação da noiva se tornou mais luxuosa. A jovem esposa era apresentada em veludo e brocado, ostentando o brasão de sua família e as cores do herdeiro ao qual sua casa estava se filiando.
O uso da tiara passou a ser um adereço obrigatório e temos nela a ancestral da nossa grinalda. O uso dos anéis era de grande importância e representavam a possibilidade de uma dama viver sem precisar trabalhar na lida com as coisas da casa. As Mãos brancas da noiva e os dedos cheios de anel demonstravam a competência do marido para prover sua esposa sem necessitar da ajuda dela em qualquer tarefa doméstica. Este fato remetia à posse de um grande número de servos, sendo que cinco damas era o número adequado para bem cuidar de uma jovem esposa e suas necessidades pessoais, tais como o asseio, o vestir e o trato dos cabelos.
No final do Renascimento, o código de elegância barroca foi determinado pelas cortes católicas de Espanha onde se estabeleceu o preto como a cor correta a ser usada publicamente como demonstração da índole religiosa de qualquer pessoa. Esta cor era aceita como adequada também para os vestidos de noiva, embora tenha sido neste momento que surgiu o vestido de noiva branco como novo padrão de elegância.
A primeira noiva a se vestir de branco foi Maria de Médici ao se casar com Henrique IV, herdeiro da coroa francesa. Maria, princesa italiana, mesmo sendo católica não comungava da estética religiosa espanhola, e assim, se mostrou em brocado branco como prova da exuberância das cortes italianas. O vestido trazia um decote quadrado com o colo à mostra, o que causou grande escândalo perante o clero.
Michelangelo Buonarote, o grande artista do Renascimento, comentou este traje como uma rica veste branca, ornada em ouro, que mostrava o candor virginal da noiva, então com quatorze anos.
Neste período, o matrimônio popular acontecia em praça pública, onde as noivas seguiam um cortejo pela praça, levadas pelo ancião do vilarejo. O traje era simples e pobre e o valor da cerimônia estava na comemoração popular. Fosse uma noiva de poucos recursos, uma filha da aristocracia, ou a filha do burguês, tinha sempre que ostentar nesta cerimônia o que de melhor sua família podia oferecer, sendo que era comum a noiva sem posses alugar um vestido especial para o evento.No enxoval, qualquer noiva deveria levar consigo, ao menos, três vestido, um que pudesse usar em outras cerimônias iguais, um para os domingos e um mais simples para as tarefas do dia. Noiva Rococó (Vestido de Maria Antonieta)
No período Rococó, as noivas se casavam vestidas com tecidos brilhantes, bordados com pedrarias, com babados de renda nas mangas e decotes e as cores preferidas eram as florais apasteladas, sendo que as mais comuns eram a Lilás, a cor de Pêssego e o verde Malva. Este hábito era seguido tanto pelas jovens da aristocracia, como pelas noivas pobres.
Na cabeça, era elegante usar uma peruca conhecida como Pouf de Sentimento, onde era colocado um cupido, o retrato do noivo, frutas e verduras que representavam a abundância para o novo lar.
A Revolução Francesa aboliu o padrão de elegância luxuoso, próprio da aristocracia de terra, que existia desde a Idade Média e o substituiu por um padrão mais discreto, puritano e burguês de origem inglês. Este padrão valorizou a pureza de caráter como a maior qualidade da noiva, projetou sobre ela a cor branca como símbolo da sua inocência virginal. Acrescentou-se a este traje um véu branco e transparente como símbolo da sua castidade, preso à cabeça por uma guirlanda de flores de cera representando esta sua qualidade como condição natural de toda jovem de família. Neste momento é introduzido o uso do linho, da lã e de tecidos opacos como adequados para o vestido de noiva.
Josephine BonaparteO governo de Napoleão também comungou deste ideal de simplicidade feminina, divulgando o estilo Império como um retorno à simplicidade da mulher grega. Napoleão decretou como idade legal para o casamento dezoito anos para as moças e vinte e um para os rapazes. O decreto teve origem na necessidade de manter os jovens de menor idade nas fileiras de seus exércitos. Foi a partir de então que se tornou obrigatória à celebração da cerimônia civil do matrimônio, quando todos os casamentos deveriam ser registrados em cartório público. Josefina, esposa de Napoleão, foi a grande divulgadora da moda Império e, a partir de então, as noivas passaram a ter o branco como a sua cor símbolo definitiva.A partir da Revolução Francesa, o traje nupcial passou a ser branco e as variações que têm se dado, têm sido na esfera dos volumes, que variam de acordo com as modas correntes, sendo que o traje nupcial continua a obedecer à função de ser o mais luxuoso que uma moça usa, antes de se tornar uma senhora casada.
Vestido de Noiva de Lady Diana SpencerA noiva do Romantismo teve seu modelo na Rainha Vitória, que se casou em 1840, com um vestido reinterpretado neste século pela Lady Diana Spencer, ao se casar com o príncipe Charles, atual herdeiro da coroa inglesa.
Em 1854, o papa Pio IX proclamou que as noivas deveriam demonstrar através do traje branco a Imaculada Concepção assim como Maria a Imaculada. Esta fala papal estabeleceu para a noiva do Romantismo um padrão católico que se estende até os nossos dias no imaginário popular delegando à virgindade um papel primordial para a qualidade da noiva.Esta noiva agregou à sua veste um adereço de mão que podia ser um terço ou um pequeno livro de orações porque, além de casta ela devia ser também religiosa. A partir da segunda metade do século XIX, o Iluminismo transferiu para o branco a idéia de luz e de abundância, o branco como claridade e como a soma de todas as cores. O branco continuou a representar a pureza e a castidade, sendo agregada ao traje a for de laranjeira como símbolo de fertilidade.
A noiva do estilo Liberty era uma flor, pura como um lírio, nobre como uma rosa ou delicada como uma margarida, sendo que a orquídea era tida como a flor que representava a paixão, a força do coração e era usada como prova de amor da noiva pelo jovem marido. O relicário de mão foi substituído por um buquê de flores naturais colhidas no dia da cerimônia.
A noiva modelo deste estilo foi Sissi, a princesa que se casou em 1854, com Francisco José, o imperador da Baviera. Sissi, a Imperatriz, se casou usando um buquê de rosas naturais e representou a noiva de crinolina.
Vestido de Noiva de Grace Kelly, Princesa de MonacoO século XX estabelece um cerimonial novo para o matrimônio que se estende por todas as classes sociais idade legal no início do século era dezoito anos para a noiva e vinte e cinco anos para o noivo, sendo que dois dias antes da cerimônia religiosa o casal se casava no cartório da vila em traje de passeio. Após a cerimônia civil a noiva recebia em sua casa os familiares e amigos para um refresco e para exibir os presentes recebidos pelas bodas. Na noite anterior à cerimônia religiosa o pai do noivo enviava a courbeille nupcial acompanhada de uma jóia da sua família. À noiva que ultrapassava vinte e cinco anos era vetado o uso do véu,e desaconselhado o uso do vestido branco juntamente com a jóia familiar e qualquer pompa cerimonial.
No século XX o traje nupcial acompanhou toda a evolução da moda, acompanhando o sistema de alta costura que vestiu todas as princesas do século e foi divulgado pelas revistas e figurinos de moda e posteriormente pelo cinema e pela televisão.
Na década de 60 a moda foi tomada pelo sistema de prêt-à-porter, pela mini-saia e pelo vestido tubo. Neste momento, o vestido de noiva pode ser comprado pronto, nas versões mini e tubo. O modelo mais conhecido deste sistema foi o vestido do segundo casamento de Brigite Bardot, um vestido curto feito em tecido de algodão, xadrez cor de rosa e branco, demonstrando uma noiva campestre e natural. Neste período o rigor cerimonial caiu, mas a carga simbólica não diminuiu, apenas o tema mudou, diferente da representação patrimonial das famílias, a noiva dos anos 60 mostrou o desejo de viver uma relação matrimonial sustentada no afeto e no desejo amoroso que pode unir um homem a uma mulher como parceiros de um ideal Hippie ou Beat de vida.
A recuperação da força da cerimônia matrimonial como a realização do sonho da moça que encontra seu príncipe encantado, se deu nos anos 80 com o casamento de Lady Diana Spencer com o Príncipe de Gales, futuro rei da Inglaterra em 1981. O traje desta cerimônia mostrou a tradição de elegância da realeza da casa de Windsor representado na releitura do vestido da Rainha Vitória e no uso do diadema real como símbolo medieval do patrimônio das famílias, na a estrutura do vestido da Sissi, a imperatriz romântica, com o modelo da Branca de Neve como a donzela pura e nobre que encontra seu príncipe encantado.
O matrimônio como instituição renasceu na década de 90 e da revolução que transformou costumes durante a década de 60 herdou o direito de acrescentar às suas intenções o desejo de sucesso amoroso para ambas as partes.O matrimônio renasceu, assim como sua história. Se o vestido da noiva nasce como símbolo do patrimônio das famílias, da fertilidade da esposa e da paixão entre o casal, hoje estes símbolos estão sendo resgatados e projetados para o século XXI.Os atuais vestidos de noiva têm sido apresentados nas cores da paixão, da pureza e adornados de múltiplas flores remetendo a todo tipo de fertilidade amorosa. Mais do que nunca, estes vestidos têm sido apresentado com tecidos luxuosos, brilhantes e bordados e sua alta carga simbólica continua a representar o papel da mulher dentro da instituição do casamento, hoje vista não como representação do patrimônio familiar paterno, mas como uma parceira à altura das competências do marido como provedor.
Faz saber que por este Cartório do Registro Civil estão se habilitando para casar:

Processo nº 2011.
CRISTIANO GONZAGA DE SOUZA e VIRGÍNIA HELENA MARTINS
BARRETO. Brasileiros, Solteiros, residentes neste município. Ele, filho de
SIDNEI LOPES DE SOUZA (Falecido) e de MARIA GONZAGA DE SOUZA. Ela,
filha de CARLOS OTAVIO DOS SANTOS BARRETO e de SILVANIA TERRA
MARTINS BARRETO.

Processo nº: 2012.
WASHINGTON CARNEIRO DA SILVA e CHAYANI MARTINS MELLO.
Brasileiros, Solteiros, residentes neste município. Ele, filho de CARLOS
ALBERTO PEREIRA DA SILVA (Falecido) e de SUELI CARNEIRO DE SOUZA.
Ela, filha de EVERALDO DA CONCEIÇÃO MELLO e de ALCIMÁRIA SILVA
MARTINS.

Processo nº: 2013.
JOSÉ ODAIR DOS SANTOS MORAIS e ANGELA MARIA BATISTA DA
SILVA. Brasileiros, Solteiros, residentes neste município. Ele, filho de FRANCISCO
DE ASSIS DOS SANTOS MORAIS e de SEVERINA AVELINA DOS
SANTOS MORAIS. Ela, filha de PEDRO JOÃO DA SILVA (Falecido) e de
ISAURINA BATISTA DA SILVA (Falecida).

Processo nº: 2014.
MÁRCIO GOMES DE MOURA e CAROLINA RANGEL GUIMARÃES.
Brasileiros, Solteiros, residentes neste município. Ele, filho de VICENTE
ALVES DE MOURA e de MARLENE FERREIRA GOMES. Ela, filha de MANOEL
ELIAS GUIMARÃES e de SANDRA RANGEL.

Processo nº: 2015.
FÁBIO DE PAULA SOUZA e MICHELLY QUEIROZ CORREIA. Brasileiros,
Solteiros, residentes neste município. Ele, filho de ADONIAS CEZARIO DE
SOUZA e de SANDRA MARIA DE PAULA SOUZA. Ela, filha de JADSON JOSÉ
FERNANDES CORREIA e de IÊDA MARIA DE QUEIROZ CORREA.

Processo nº: 2016.
JOEL VIANA MACHADO e DENISE RIBEIRO DE OLIVEIRA. Brasileiros,
residentes neste município. Ele, Solteiro, filho de JOEL PORFIRIO MACHADO
e de CIDEJA VIANA MACHADO. Ela, Divorciada, filha de GERALDO DE
OLIVEIRA NOLASCO e de MARIA ELENA RIBEIRO DE OLIVEIRA.

Processo nº: 2017.
JOSÉ ANTONIO BARBOSA DA SILVA JUNIOR e DRIELLE FREIRE DOS
SANTOS. Brasileiros, Solteiros, residentes neste município. Ele, filho de JOSÉ
ANTONIO BARBOSA DA SILVA e de MARILENE DE MELO DA SILVA. Ela, filha
de AURENICE FREIRE DOS SANTOS.

Processo nº: 2018.
JOSÉ ANTONIO FARIAS DA CRUZ e MARLI ALVES GIACOMETI.
Brasileiros, Divorciados, residentes neste município. Ele, filho de CLEMENTE
FARIAS DA CRUZ (Falecido) e de JOSEFINA DE NOVAES (Falecida). Ela,
filha de VITORINO MARIA GIACOMETI (Falecido) e de NADIR ALVES
GIACOMETI.

Processo nº: 2019.
THIAGO SOUZA SILVA e VERÔNICA DA SILVA. Brasileiros, Solteiros,
residentes neste município. Ele, filho de JOSÉ ANTONIO DA SILVA e de ANGELA
MARIA SOUZA SILVA. Ela, filha de MARIA BERNARDO DA SILVA.

Processo nº: 2020.
FERNANDO RODRIGUES DE ALMEIDA e ÉRICA DA SILVA SARDINHA.
Brasileiros, Solteiros, residentes neste município. Ele, filho de CARLOS
ALBERTO FERREIRA DE ALMEIDA e de MARLI RODRIGUES DE ALMEIDA.
Ela, filha de FABIO DO NASCIMENTO SARDINHA e de IVONETE DA SILVA
SARDINHA.

Processo nº: 2021.
FERNANDO MORAES DE SOUZA FREITAS e VERÔNICA DE
FREITAS OLIVEIRA. Brasileiros, Solteiros, residentes neste município.
Ele, filho de NICODEMOS ARAUJO DE FREITAS e de VALNETE MORAES
DE SOUZA FREITAS . Ela, filha de ELINALDO DAMIÃO DE OLIVEIRA e de
MARCIA AUGUSTA DE FREITAS OLIVEIRA.

Processo nº: 2022.
JOCELIO DE SOUZA CELESTINO e ALESSANDRA MARIA
FERREIRA DOS SANTOS. Brasileiros, residentes neste município. Ele,
Divorciado, filho de JOSÉ MARTINS CELESTINO e de DEBORA
CARNEIRO DE SOUZA. Ela, Solteira, filha de ERNESTO JOSÉ DOS
SANTOS e de ALICE FERREIRA DA SILVA.

Processo nº: 2023.
GUSTAVO REIS DE OLIVEIRA e DIRLENE KLEN NEVES. Brasileiros,
Solteiros, residentes neste município. Ele, filho de JOÃO CARLOS
MARQUES DE OLIVEIRA e de ANA CECILIA REIS DE OLIVEIRA. Ela, filha
de DECIO MENDES NEVES e de CACILDA KLEN RIOS.

Processo nº: 2024.
WALLACE OLIVEIRA DA CONCEIÇÃO e LÚCIA HELENA PROCÓPIO
DA SILVA. Brasileiros, Solteiros, residentes neste município. Ele, filho de
IZIDORO DA CONCEIÇÃO e de MARGARETH DOS SANTOS OLIVEIRA.
Ela, filha de ALÍRIO FRANCISCO DA SILVA (Falecido) e de MARIA DA
PENHA PROCÓPIO DA SILVA (Falecida).

Processo nº: 2025.
CRISTIANO LOPES BARBOSA e ELAINE FERREIRA SOARES.
Brasileiros, Solteiros, residentes neste município. Ele, filho de JOSÉ LUIZ
DOS SANTOS BARBOSA e de BERNARDINA MÊDAS LOPES. Ela, filha
de MAURICIO SIQUEIRA SOARES e de ANGELA MARIA FERREIRA
SOARES.

Processo nº: 2026.
FABIANO CARVALHO MUNIZ e FABIOLLA KEYVILANNE DE LIMA
ROCHA. Brasileiros, Solteiros. Ele, residente neste município, filho de
HAMILTON MUNIZ e de DINÉA CARVALHO MUNIZ. Ela, residente em
Casimiro de Abreu – RJ, filha de JOSÉ SOUSA ROCHA e de LUCINEIDE
DE LIMA ROCHA.

Processo nº: 2027.

Processo nº: 2028.
LEANDRO BASTOS SILVEIRA e THAÍS DOS SANTOS GÓES.
Brasileiros, Solteiros, residentes neste município. Ele, filho de LEVI VARGAS
SILVEIRA e de LUZIA CAROLINA BASTOS SILVEIRA. Ela, filha de LAERCIO
DE LIMA GÓES e de NEUSA APARECIDA DOS SANTOS GÓES.

Processo nº: 2029.
LEANDRO VIANA e KAROLINE SILVA DE ALMEIDA. Brasileiros,
Solteiros, residentes neste município. Ele, filho de MARLENE INOCENCIA
VIANA. Ela, filha de DERLY PEREIRA DE ALMEIDA e de NILCÉIA SILVA
DE ALMEIDA.

Processo nº: 2030.
ALEXANDRE BAPTISTA CESÁRIO e VANESSA ALEXANDRA DIAS
DOS SANTOS. Brasileiros, Solteiros, residentes neste município. Ele, filho
de FRANCISCO CESÁRIO e de MARIA HELENA BAPTISTA CESÁRIO.
Ela, filha de JORGE MARTINS DOS SANTOS e de MARIA APARECIDA
DIAS DOS SANTOS.

Processo nº: 2031.
MARCOS SILVA DOS REIS e LORENA CAROLINA GONÇALVES
SANTOS. Brasileiros, Solteiros, residentes neste município. Ele, filho de
PAULO ROBERTO ELISIARIO DOS REIS e de IRENIR SILVA DOS REIS.
Ela, filha de DENIVALDO DA SILVA SANTOS e de MÁRCIA CRISTINA
GONÇALVES SANTOS.

Processo nº: 2032.
FIDÉLIS AMÉRICO PEREIRA VOLOTÃO e LETICIA DOS SANTOS
GONÇALVES. Brasileiros, residentes neste município. Ele, Divorciado, filho
de JUAREZ NARCISO VOLOTÃO e de FRANCISCA PEREIRA VOLOTÃO.
Ela, Solteira, filha de JOELÇON RANGEL GONÇALVES e de IVANILDA
GOMES DOS SANTOS.

Processo nº: 2033.
DENIS MIGUEL DA SILVA e FABIANA VIANA DA SILVA. Brasileiros,
Solteiros residentes neste município. Ele, filho de ADEMIR SOARES DA
SILVA (Falecido) e de SANDRA MARIA MIGUEL DA CRUZ. Ela, filha de
SEBASTIÃO PAULO VIANA DA SILVA (Falecido) e de RUTILÉA COELHO
DA SILVA.

Processo nº: 2034
PEDRO ÁREAS VILLAÇA e JULIANA DA SILVA TEIXEIRA. Brasileiros,
Solteiros. Ele, residente neste município, filho de MARIO JORGE SOUZA
VILLAÇA e de SONIA MARIA ÁREAS VILLAÇA. Ela, residente em Jacarepaguá
– RJ, filha de MARCELO TEIXEIRA JUNIOR e de JOCELI DA SILVA
TEIXEIRA.

Quem souber de algum impedimento acuse-o na forma da Lei.
Rio das Ostras, 27 de Julho de 2009
Danny dos Santos Reis
Substituto
Lembrança simples passo a passo


Vestidos do KZ Atelier Noivas

KZ Atelier Noivas

KZ Atelier Noivas
kz

Vestidos 15 anos do KZ Atelier Noivas